Home page -> User area
User area
Competências de argumentação - a capacidade para convencer os outros
"DEFINIÇÃO (source: http://www.philosophypages.com/lg/e01.htm):
Uma discussão não é o mesmo que uma disputa. Uma discussão é um conjunto de duas ou mais proposições relacionadas umas com as outras para que todas menos uma (as premissas), supostamente, forneçam suporte à que falta (a conclusão)."
Proposição: é uma afirmação declarativa que tanto pode ser verdadeira, como falsa. Vulgarmente designada por pretensão.
Premissa: uma afirmação cuja verdade é utilizada para inferir a verdade dos outros. Pense nisto como um tijolo de construção para uma discussão, ou uma ligação numa cadeia, na qual a última ligação é a sua conclusão.
Inferência: relação que existe entre as premissas e a conclusão de uma discussão lógica ou o processo de tirar uma conclusão a partir de premissas que a apoiem dedutiva ou indutivamente.
Conclusão: uma proposição cuja verdade foi inferida com base noutras proposições relacionadas com a mesma num argumento lógico.

Exemplo:
1. Os desperdícios da produção de roupa podem ser utilizados para tecer tapetes (premissa)
2. O uso dos desperdícios nesta produção reduz a quantidade de resíduos/lixo (premissa)
3. A redução da quantidade de resíduos protege os recursos naturais (premissa)
4. A “Lude”Ltd. utiliza restos de lingerie, por isso estão a proteger os recursos naturais (conclusão)

Existem dois tipos de argumento principais: dedutivo e indutivo.
Um argumento dedutivo é aquele em que é impossível que as premissas sejam verdadeiras e a conclusão falsa. Para além disso, a conclusão resulta, necessariamente, das premissas e inferências. Desta forma, é suposto ser uma prova definitiva da verdade do que foi afirmado (conclusão). Por outras palavras: é suposto a verdade das premissas garantir a verdade da conclusão.

Exemplo
:
1. Todos os homens são mortais. (premissa)
2. Sócrates era um homem. (premissa)
3. Sócrates era mortal. (conclusão)

Um argumento indutivo é aquele em que é suposto que as premissas sustentem a conclusão, de tal forma que se as premissas forem verdadeiras, é improvável que a conclusão seja falsa. Assim, a conclusão resulta das premissas e da inferência. Por outras palavras: a verdade das premissas faz, meramente, com que a conclusão seja, provavelmente, verdadeira.

Exemplo:
1. Sócrates era grego. (premissa)
2. A maior parte dos gregos come peixe. (premissa)
3. Sócrates comia peixe. (conclusão)
Perguntas para você
Consegue dizer no que consiste um argumento?
O que torna um argumento forte, e o que enfraquece um argumento?

Exercícios / Ferramentas
Aprender com a prática:
1. Encontre um parceiro.
2. Escolha uma das seguintes questões:
• Todas as ONG podem tornar-se empresas sociais?
• A reciclagem ajuda a poupar recursos?
• Será que as empresas sociais trazem uma mudança positiva à sociedade?
• Será que uma empresa precisa de gerar lucro o mais depressa possível para ter sucesso?
3. Em 15 minutos, crie um argumento que suporte uma resposta positiva ou negativa à questão. Os argumentos têm de conter, pelo menos, duas premissas e uma conclusão.
4. Apresente os seus argumentos ao seu parceiro e avaliem os argumentos de forma crítica. Preste atenção à força/plausabilidade das premissas.

Recursos úteis





















|
|
|
|
|
|